Necessário...

Você já parou pra pensar o que seria de nós sem o guarda chuva? Bem, até um tempo atrás eu DETESTAVA esse acessório (não sei se posso chamá-lo assim) e não havia quem me fizesse sair de casa com um, mesmo em meio a maior chuva... Eu os achava horríveis e não gostava da sensação de ter que carregar alguma coisa... Sem contar que era o maior mico (em meu ver). Mas sabe que hoje em dia eu larguei mão dessas coisas de menina e quando chove eu recorro ao guarda chuva mesmo. Ainda não morro de amores por ele, tenho que fazer um esforço sobrenatural para não esquecê-lo nos lugares onde vou (muitas vezes quando saio está chovendo e na volta a chuva parou). Tenho um em casa e outro dentro do carro.
Mas enfim, escrevi sobre o guarda chuva pois ontem à noite eu estava na Faculdade e presenciei um verdadeiro DESFILE de guarda-chuvas e sombrinhas. Sabe que eu nunca tinha reparado que pode-se fazer combinação entre estes e a bolsa, cachecol, botas... Fica lindo! Não sei como as pessoas pensam em tudo... Eu jamais pensei em combinar meu guarda chuva com alguma coisa, simplesmente pego ele e saio com a roupa que estou! Mas tenho que admitir que ontem cheguei a apreciar os modelitos...
Se pararmos pra pensar, hoje tem guarda chuva para tudo quanto é gosto... Sabe que até os meus filhos ADORAM sair com um? É a maior festa! O meu pequeno mesmo, Samuel, em dias de chuva, às vezes pede pra mim se pode ir no pátio do prédio brincar... Quando eu deixo, observo ele rodando e rodando em baixo da chuva... Com o guarda chuva, é claro!
Curiosidade:
A origem do guarda-chuva... Os mais antigos que se conhecem foram da Mesopotâmia, há 3400 anos. Na Mesopotâmia, região do atual Iraque, há 3400 anos já existiam artefatos destinados a proteger a cabeça dos reis - contra o sol, não contra a chuva, uma raridade naquele lugar. Assim como os abanos, eram feitos de folhas de palmeiras, plumas e papiro.. No Egito, adquiriram significado religioso e na Grécia e em Roma eram tidos como artigo exclusivamente feminino. Só no século XVIII a obstinação do comerciante inglês Jonas Hanway, um apaixonado por guarda-chuvas (versão inglesa do guarda-sol tropical), conseguiria torná-los dignos também de um gentleman. Embora ridicularizado em vida, após a sua morte, em 1786, os ingleses aceitaram sair à rua munido do acessório nos sempre frequentes dias de chuvas do país.(Superinteressante/Abril)

3 Comments:

Lií said...

Hehe. Eu também tinha essa mania de não usar guarda-chuva,até que um dia,choveu forte na minha cidade,e eu por teimosia,voltei encharcada para casa.(kk')
Mais,acho que,pelo fato de ele ter se tornado um "modelito",as pessoas acabam por perder essa "raiva" e "vergonha" de usar,por que se voce perceber bem,era um pouco "feio".

============================================

http://garotalii.blogspot.com/

kbritovb said...

bem legais esses
mas eu gosto de tomar chuva
e no máximo saio com um boné =]

Marcus Alencar said...

Nossa, me identifiquei com você com essa questão de não gostar do guarda-chuva, sabe, prefiro tomar mesmo a chuva nos galhos e dane-se o resto, rs. Mas as vezes me arrependo e muito.....
E que coleção mais criativa e bonita é essa ai hein, fiquei surpreso.