I miss you...



Estava remexendo em uma pasta antiga... com poemas meus, cartas , fotos do passado e encontrei uma poesia que fiz para minha amiga (inesquecível) Babi...

Quem acompanha aqui o bloguinho, vez em quando lê sobre essa minha amiga/irmã que morreu a exatamente 11 meses. É muito estranho "ainda" reconhecer que ela não está mais aqui, é surreal!

Nós éramos aquele tipo de amigas sabe? Que só no jeito de olhar, uma já sabia o que a outra queria dizer! Fizemos um pacto certa vez de que uma seria madrinha do filho da outra... Pois bem, ela foi madrinha do meu filho mais velho, mas ela nem chegou a ter filhos...

Eu não sou uma pessoa muito rodeada de amigos... Posso contar nos dedos àqueles que compartilham do meu coração... por inteiro. Não sei, esse é meu jeito. Me dou bem com todo mundo, mas amigo de verdade eu tenho poucos... Só que estes, posso chamar sem medo de irmãos!

Nesses 11 meses que se passaram, creio que não houve um dia sequer que eu não tenha lembrado da Babi e sentido aquele aperto no peito... Não sei... as pessoas falam que o tempo cura toda dor... Nesse caso, o tempo só tem feito aumentar a saudade!

Vou colocar aqui o poema então que falei no início, foi escrito em 1996, e nessa época nós duas trabalhávamos juntas no Móveis Brasília, eu fazia faculdade e achava que ia ser escritora... Ela então pediu que eu escrevesse algo sobre ela pra colocar na contra-capa do meu livro... Eis o que saiu:


Na vida tudo é tão difícil
Experiências e medos a passar
Com um amigo tudo se torna mais fácil
Um ombro aconchegante para chorar...

São tantas histórias e novidades a contar
Amores perdidos e achados
Tanta alegria num olhar...
E num mágico momento, o tempo fica parado!

Achar uma pessoa assim
É uma dádiva que Deus nos dá
Você é assim para mim...
E sua amizade jamais vou trocar!

Talvez algum dia, depois que o tempo passar
Espero que ainda juntas possamos compartilhar
As alegrias e tristezas da vida
E então com saudades relembrar
O tempo que tudo era tão mágico, como o é


Então minha amiga, por fim
Guardo no peito este tesouro
Que a vida deu para mim
Te garanto que ele vale mais, muito mais que o ouro.

No caminho, com Maiakóvski


"Na primeira noite, eles se aproximam e colhem uma flor de nosso jardim. E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem, pisam as flores, matam o nosso cão. E não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles, entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a lua, e, conhecendo o nosso medo, arranca-nos a voz da garganta.
E porque não dissemos nada, já não podemos dizer nada. "
(Eduardo Alves da Costa)

*Este é apenas um fragmento do belíssimo poema publicado em 1936 pelo autor carioca Eduardo Alves Costa, faz parte do livro "Os cem melhores poetas Brasileiros do Século", organizado por José Nêumanne Pinto. Segue abaixo o texto na íntegra...

Assim como a criança
humildemente afaga
a imagem do herói,
assim me aproximo de ti, Maiakósvki.
Não importa o que me possa acontecer
por andar ombro a ombro
com um poeta soviético.
Lendo teus versos,
aprendi a ter coragem.

Tu sabes,
conheces melhor do que eu
a velha história.
Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor
do nosso jardim.
E não dizemos nada.
Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores,
matam nosso cão,
e não dizemos nada.
Até que um dia,
o mais frágil deles
entra sozinho e nossa casa,
rouba-nos a luz e,
conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada.

Nos dias que correm
a ninguém é dado
repousar a cabeça
alheia ao terror.
Os humildes baixam a cerviz:
e nós, que não temos pacto algum
com os senhores do mundo,
por temor nos calamos.
No silêncio de meu quarto
a ousadia me afogueia as faces
e eu fantasio um levante;
mas amanhã,
diante do juiz,
talvez meus lábios
calem a verdade
como um foco de germes
capaz de me destruir.

Olho ao redor
e o que vejo
e acabo por repetir
são mentiras.
Mal sabe a criança dizer mãe
e a propaganda lhe destrói a consciência.
A mim, quase me arrastam
pela gola do paletó
à porta do templo
e me pedem que aguarde
até que a Democracia
se digne aparecer no balcão.
Mas eu sei,
porque não estou amedrontado
a ponto de cegar, que ela tem uma espada
a lhe espetar as costelas
e o riso que nos mostra
é uma tênue cortina
lançada sobre os arsenais.

Vamos ao campo
e não os vemos ao nosso lado,
no plantio.
Mas no tempo da colheita
lá estão
e acabam por nos roubar
até o último grão de trigo.
Dizem-nos que de nós emana o poder
mas sempre o temos contra nós.
Dizem-nos que é preciso
defender nossos lares,
mas se nos rebelamos contra a opressão
é sobre nós que marcham os soldados.

E por temor eu me calo.
Por temor, aceito a condição
de falso democrata
e rotulo meus gestos
com a palavra liberdade,
procurando, num sorriso,
esconder minha dor
diante de meus superiores.
Mas dentro de mim,
com a potência de um milhão de vozes,
o coração grita - MENTIRA!

Mania de explicação


Pois bem... Sumi, eu sei!
Andava até tristonha em ver o bloguinho aqui tão abandonado e sem vida...
A desculpa mais uma vez é a mesma: Falta de Tempo!
Sim... Nesse um mês que estive ausente, foram tantas as emoções que acredito ser quase impossível compartilhar de todas aqui com vocês...
Mas... Tentarei!

Em primeiro lugar começamos a pintar nosso apartamento, mais ou menos há uns dois meses, e até agora "apenas" dois quartos já ficaram prontos... Isso tudo com alguns agravantes: Estamos morando no apartamento enquanto a reforma acontece; O marido achou que que ia rápido e "doou" nosso sofá, mas pelo ritmo das coisas chegaremos à sala apenas em janeiro... Isso significa que eu QUERO muito um sofá, a minha sala de volta!

Também tem sido uma loucura minha vida como professora no colégio que eu tanto sonhava... Desde que comecei lá eu desconheço o que é "não se ter nada pra se fazer"! Simplesmente eu sempre tenho vários itens na agenda a serem cumpridos... Se não estou dando aula, estou planejando, corrigindo, encaminhando, elaborando, criando... Mas enfim... Estou amando também! Tem valido a pena cada minuto. A cada dia eu tenho mais certeza que amo a Literatura e amo lecionar!

Estou fazendo minha pós em Literatura todos os sábados, escrevendo meu artigo do Mestrado... Em janeiro do próximo ano presto a prova na Federal aqui de Santa Catarina e se Deus quiser estarei definitivamente dentro!

Semana passada participei de um encontro maravilhoso de casais e tenho vivido momentos indescritíveis com Deus...

Recomecei um cardápio de reeducação alimentar , estou "morrendo de fome", mas disposta a me manter firme até o peso desejado!

Tenho lido muito... aliás, relido! Basicamente os livros que estou trabalhando para o vestibular com meus alunos... Alguns fazia muito tempo que tinha lido e não quis correr o risco de perder algum detalhe! *Nesse momento estou lendo Laços de Família de Clarice Lispector e também O Segredo da Saúde Total (ma-ra-vi-lho-so! e tem me ajudado muito no que se refere a alimentação do corpo, alma e espírito - recomendo)

Ah... Também estamos nos preparando para viajar esse fim de ano para Goiás, visitar minha sogra... Se tudo correr certo, ficaremos lá pelo menos um mês! Isso tem gerado uma grande expectativa em nossos corações...

Então, basicamente é isso! Estou feliz por estar de volta...
Um beijo e até!

"Eu estou séria, mas por dentro estou sorrindo. Não sei de quê.
É que viver me faz sorrir." (Clarice Lispector)

Humor do Dante...

Altas horas da madrugada, o casal acorda ao som insistente da campainha da casa.
O dono da casa se levanta e, pela janela, pergunta:
O que é que você quer?
- Olá, eu sei que é tarde!
Grita um homem;
- Mas preciso que alguém me empurre, e sua casa é a única nesta região.
- Você precisa me empurrar!
Louco da vida, o recém acordado replica:
- Eu não te conheço, são 4 horas da manhã, e me pede para te ajudar?
- Ah! Vá te catar!
E ele volta para a cama.
Sua mulher, que também acordou, não gosta da atitude do marido:
- Você exagerou.
- Você já ficou sem bateria antes, você bem que poderia ajudar esse cara..
- Mas ele está bêbado!
Desculpa-se o marido.
- Mais um motivo para ajudá-lo.
Insiste a mulher.
- Ele não vai conseguir sozinho.
- Você que sempre foi tão prestativo.
Tomado por remorsos, o marido se veste e vai para a rua.
Procura o bêbado dizendo:
- Hei cara, vou lhe ajudar! Onde é que você está?
E o bêbado gritando:
- Aqui, no balanço do jardim

Sonhos

Há um lugar pra chegar
Ha uma ponte que te levará pro outro lado
Há um sonho, uma voz
Dizendo os seus sonhos também são meus

Vou te levar
Te conduzir
E quando você alcançar
Saberás que em todo tempo eu estive ao teu lado

Os teus sonhos são meus
Teus problemas são meus
Tua vida também é minha vida
Eu de ti cuidarei
N
V
unca te deixarei
Os teus sonhos eu realizarei


Vou te levar
Te conduzir
E quando você alcançar
Saberás que em todo tempo eu estive ao teu lado


(Chris Duran)

Simplesmente... Pablo Neruda!

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.

Sem inspiração...


É terrível essa sensação de encontrar a mente vazia... Pelo menos, vazia pra escrever sobre alguma coisa...

Ultimamente tenho pensado em tantas coisas, planejado tanta aula, corrigido tantas provas e trabalhos, queimado meus neurônios no projeto para o Mestrado, me preocupado com a saúde de meus filhos (e minha), mais a reforma em meu apartamento...

E por incrível que pareça, com tanta coisa acontecendo, não consigo ter inspiração pra escrever nada! - Frustrante, mas espero que passe logo!

Um beijo e até.

Esses pequenos momentos...

Encerramos mais um mês... Nem dá pra acreditar que setembro está aí!

Esses dias ainda eram férias de julho... Parece que cada vez mais o tempo corre aceleradamente...

Mas em meio a toda correria, sábado participei de um retiro para os professores do colégio onde trabalho, e por incrível que pareça... No silêncio, nas reflexões, eu pude perceber quanta coisa está passando e eu tenho deixado o estresse falar mais alto...

Decidi (mais uma vez!) desacelerar um pouco e curtir momentos únicos, que jamais voltarão... A infância dos meus filhos, por exemplo... A minha juventude (que por mais que eu relute, sei que também se vai sem que eu perceba...) E enfim...

Termino esse mês muito reflexiva e disposta a mudar certos conceitos...

Beijos e até!

(O exercício já começou esse fim de semana... Eu, ontem na praia com o Samuel... Passeamos, brincamos, comemos e rimos muito!)

Pensamento da semana



“Há três coisas para as quais eu nasci e para as quais eu dou minha vida. Nasci para amar os outros, nasci para escrever, e nasci para criar meus filhos. O ‘amar os outros’ é tão vasto que inclui até perdão para mim mesma, com o que sobra. As três coisas são tão importantes que minha vida é curta para tanto. Tenho que me apressar, o tempo urge. Não posso perder um minuto do tempo que faz minha vida.[...] Ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca [...].”
(Clarice Lispector)

"PreconSSeito" Linguístico

Bem gente, quando a inspiração bate, não tem jeito. Essa semana estava trabalhando em sala de aula sobre as variedades linguísticas e propomos uma produção textual sobre o preconceito linguístico... Só de ver, falar e escutar tantas coisas a respeito, decidi ser solidária aos meus alunos e fiz minha própria produção... Pra variar, saiu uma crônica básica!


Só quem já passou pela vida escolar, sabe e pode reconhecer como as crianças e adolescentes conseguem ser cruéis uns com os outros... Todo gordinho, magrinho, baixinho, altinho... Enfim, estereótipos incomuns (ou comuns demais) sofreram e ainda sofrem na escola por serem tachados de "baleia", "palito", "quatro olhos", "CDF", "lombriga", "rolha", e por aí vai... No momento de criar um apelido, todas as energias se concentram em um mesmo canal, e a criatividade vai à mil... Impressionante!

Hoje esse preconceito é conhecido por "bulling", mas mesmo antes desse nome se tornar tão popular, o comportamento em si já existia. Junto nesse "pacote de crueldade" encontra-se também o preconceito linguístico, que mesmo não sendo tão reconhecido é igualmente injusto.

Na verdade, tudo começa muito sutilmente... Os olhares, as risadinhas, tudo soa tão ingênuo. Parece divertido escutar o amigo que veio do interior e puxa o R no final das palavras, ou o que vem de uma família mais simples e fala algumas coisas erradas... Até mesmo o que tem o sotaque alemão e solta vez em quando frases assim: "O caro coreu tanto que derubou a árvore"... As risadas são inevitáveis, mas o pior de tudo é que não para por aí.

Ser chamado de "burro", "caipira", "Chico Bento", "da roça", pode parecer engraçado pra muita gente, menos para aquele que recebe o "apelido". Divertir-se com a fala do outro vai além de uma simples brincadeira: É menosprezar as raízes de outrem.

Imagine aquele menino esperto, de olhinhos brilhantes e atentos a aprender tudo o que lhe vem pela frente: Sua maior inspiração são seus pais, seus avós... Todos esses seres fantásticos que sabem tantas coisas incríveis (mesmo não tendo frequentado a escola). Esse menino sempre escutou em casa falarem "pobrema", sem problema nenhum... Nunca seus pais ou avós deixaram de ser excepcionais por isso. Mas chega o (triste) momento desse menino ir para a escola... A empolgação é tanta: Tantas coisas a aprender, amigos a conhecer, um mundo a descobrir! Chegando na aula esse garoto se depara com tantos olhares, tantas risadas e apelidos grosseiros pelo seu modo de falar, que muitas vezes acaba acreditando que é "burro", e o pior... Que todos em sua casa o são! É muito triste essa realidade, mas existe.

Sabemos que o intelecto de uma pessoa não é medido pela sua forma de falar, de se expressar. José Saramago afirmou em uma de suas entrevistas que o homem mais sábio e inteligente que conheceu era analfabeto (se referindo ao seu avó, que era camponês). Então percebemos como é séria essa questão do preconceito linguístico.

É claro que não podemos fechar os olhos para a norma-padrão, seria ingênuo e imprudente. Mas deveríamos investir em uma cultura que promovesse cada vez mais o incentivo aos estudos e fosse cada vez mais desprovida de conceitos pré-determinados. Assim, todos poderiam valorizar suas raízes, reconhecer a importância de cada variedade linguística e ainda, ter acesso à "norma culta", tão necessária nesse mundo seletivo.

Post número 100

O bloguinho aqui está em festa... São 100 postagens publicadas e vejo isso como uma grande vitória.

Quando comecei aqui não tinha bem a certeza se poderia mantê-lo sempre atualizado, mas estamos vencendo... Algumas semanas mais complicadas (como essa que se finda, por exemplo), mas mesmo não tendo tempo de postar todos os dias, o meu pensamento "hora ou outra" está matutando algo de especial pra publicar aqui...

"Amar senão Amar", tornou-se um espaço muito especial pra mim... Pois posso compartilhar um pouquinho do meu mundo e das minhas paixões com leitores que tornaram-se tão queridos e fiéis nesses quase 5 meses...

Só quem tem um blog sabe, a alegria de abrir sua página e ver um comentário, ou o número de visitas aumentando... Traz uma satisfação enorme! E é o que nos impulsiona a sempre escrever mais e buscar maior qualidade.
Então gente... Termino esse post de número 100 com muito entusiasmo e desejando a todos um excelente fim de semana... Muito amor, muito descanso e muita paz!
Beijos e até.



Humor do Dante


Três filhos saíram de casa, conseguiram bons empregos e prosperaram.

Anos depois, eles se encontraram e estavam discutindo sobre os presentes que eles conseguiram comprar para a mãe, que já era bem idosa.

O primeiro disse:
- "Eu consegui comprar uma casa enorme para nossa mãe...".

O segundo disse:
- "Eu mandei para ela uma Mercedes zerinho com motorista.".

O terceiro sorriu e disse:
- "Certamente meu presente foi melhor. Vocês sabem como a mamãe gosta da Bíblia, mas ela está praticamente cega e não consegue mais ler.

Então mandei pra ela um papagaio marrom raro que consegue recitar a Bíblia todinha. Foram 12 anos de treinamento num mosteiro, por 20 monges diferentes. Eu tive de doar US$ 100, 000.00 para o mosteiro,mas valeu a pena. Nossa mãe precisa apenas dizer o capítulo e versículo que o papagaio recita sem um único erro".

Tempos depois, os filhos receberam da mãe uma carta de agradecimento pelos presentes:


Primeiro: "Milton, a casa que você comprou é muito grande. Eu moro apenas em um quarto, mas tenho de limpar a casa todinha...".

Segundo: "Maycon, eu estou muito velha pra sair de casa e viajar. Eu fico em casa o tempo todo e nunca uso o Mercedes que você me deu. E o motorista também é muito mal educado...".

Terceiro: "Querido Marvin, você foi o único filho que teve bom senso pra saber que o que a sua mãe realmente gosta é de coisas simples.

Aquele franguinho estava delicioso, muito obrigada."

Metade

Quando tinha uns 13, 14 anos fui ao show do Oswaldo Montenegro com minha tia (a Léla) e simplesmente me apaixonei por sua poesia. Nesse dia ele declamou esse poema (Metade) e até eu não comprar um disco e decorar a letra eu não sosseguei. (Naquele tempo não existia o acesso à internet como hoje, e quando queríamos alguma coisa, tínhamos que correr um pouco atrás).
Mas valeu muito a pena, com certeza posso afirmar que esse poema é o meu favorito até hoje... (Nem sei como ainda não postei ele aqui) e com ele ganhei um concurso de declamação também... Mas isso faz muito tempo, era na época que eu pensava que seria atriz...
Mas enfim, ele é belíssimo! Cada vez que o leio ou o escuto, sinto uma emoção diferente... Confiram:

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.

Que a música que ouço ao longe seja linda ainda que tristeza
E que a mulher que amo seja pra sempre amada mesmo que distante
Porque metade de mim é partida, mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço, mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que mereço
Que a tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso, mas a outra metade um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita em meu rosto, um doce sorriso que me lembro ter dado na infância
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, mas a outra metade não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar, pois é preciso de simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é a plateia, e a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
e a outra metade também.


(Oswaldo Montenegro)

Meu caso de amor com os esportes...

Essa semana está acontecendo as "Olimpíadas Internas" do colégio onde leciono e por consequência não há aula: só jogos! Você deve estar pensando que isso é bom e que eu estou amando essa semaninha "de folga"... Engano o seu! Preferia mil vezes dar cinco aulas por manhã...
É praticamente uma "tortura" para a minha pessoa ficar acompanhando os jogos, torcendo (sem entender o que está acontecendo) e ainda por cima dar uma de técnica da minha equipe (turma a qual sou regente)... Tadinhos deles!
A minha grande antipatia pelos esportes surgiu muito cedo... Desde a mais tenra infância "detestava" as aulas de Educação Física e acredito que eu era a aluna que todo professor de Esportes não queria ter... Não gostava de nada... Morria de medo da bola... Me cansava rápido na corrida...
Com o passar do tempo essa história só foi piorando, pois sempre era a última a ser escolhida pelo time... (Sabe aquela coisa que as capitãs do Handebol, Volei ou Basquete iam chamando quem queriam que jogassem na sua equipe.) Eu sempre sobrava! Ae princípio era frustante... essa seleção era muito cruel para uma simples criança. Mas com o passar do tempo eu fui percebendo que era boa em outras coisas e não precisava gostar de esportes para ser aceita.
Mas acredito que o ponto culminante da minha "história de amor" com as aulas de Educação Física aconteceu quando eu estudava no 1º Ano do Ensino Médio (antigo 2º Grau)... Estávamos praticando Atletismo... Salto em altura... E quando chegou minha vez de pular, eu corri, corri... e quando me deparei com a corda, ao invés de saltar, eu me apavorei e mergulhei de cabeça na caixa de areia... Quase quebrei meu pescoço e matei a professora de susto...
Acho que eu fui a primeira (e única) pessoa que conseguiu saltar de cabeça nessa modalidade... E a única aluna também a ser dispensada das aulas de Educação Física.
Agora você conhecendo esse meu lado "atleta", tente me imaginar orientando uma equipe... Hoje mesmo estava incentivando as meninas no Handebol e eis que a bola surge em minha direção... Que desespero!
Mas... São ossos do ofício. Quem sabe essa é a oportunidade de eu tenho de fazer as pazes com os esportes... Ninguém pode falar que eu não tentei!

Finalmente!

Estou devendo aqui no blog as fotos da formatura que prometi...
Pois bem, finalmente vou colocá-las...
Eu sou muito suspeita pra falar, mas foi tudo muito lindo e chego até a me emocionar, só de lembrar! Além de ver um sonho sendo realizado, ainda ganhei o prêmio "Mérito Estudantil"... Realmente foi maravilhoso, e posso afirmar com a maior convicção que TODO esforço, todo cansaço, todas as idas à faculdade de bicicleta com meus dois filhos na "garupa", todo aperto financeiro... Valeram a pena! Como já dizia Fernando Pessoa:

"Tudo vale a pena se a alma não é pequena."







Um beijo a todos o bom fim de semana!

Definições não... Mania de explicação


Bem gente, eu hoje estou aqui pra reconhecer que errei, e errei feio. Na verdade eu fiz uma coisa que sempre digo aos meus alunos para não fazerem... A algumas semanas atrás eu postei aqui sobre Mário Quintana, e tudo o que eu falei sobre ele é verdade... é um grande poeta, gaúcho, o amo muito e tenho comigo dois livros de sua autoria (Antologia poética, Oitenta anos de poesia)...

Mas o que aconteceu é que recebi um email com frases lindas e que vinham com a autoria de Mario Quintana... E na verdade, muitas dessas frases fazem parte de "Mania de explicação" de Adriana Falcão. Um querido leitor me alertou sobre a autoria e alegou ser de Mario Prata, e na verdade encontramos na internet isso mesmo... Em vários sites. Mas o próprio Mario Prata esteve aqui e me ajudou nessa questão tão confusa, e me encminhou para a verdadeira autora das frases tão belas: Adriana Falcão. (podem conferir nos comentários).
Quero me desculpar com todos vocês que leram esse post, e aos que não leram também, mas confiam na veracidade do que eu posto aqui! E quero também agradecer ao leitor que chamou minha atenção para essa falha.

Como eu digo em sala de aula: Nunca confiem em tudo o que leem na internet, vamos à biblioteca pesquisar em fontes seguras! Pois bem...

Agora segue o texto "original" pra vocês:



Era uma menina que gostava de inventar uma explicação para cada coisa.

Explicação é uma frase que se acha mais importante do que a palavra.
As pessoas até se irritavam, irritação é um alarme de carro que dispara bem no meio de seu peito, com aquela menina explicando o tempo todo o que a população inteira já sabia. Quando ela se dava conta, todo mundo tinha ido embora. Então ela ficava lá, explicando, sozinha.
Solidão é uma ilha com saudade de barco.
Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança pra acontecer de novo e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
Autorização é quando a coisa é tão importante que só dizer "eu deixo" é pouco.
Pouco é menos da metade.
Muito é quando os dedos da mão não são suficientes.
Desespero são dez milhões de fogareiros acesos dentro de sua cabeça.
Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.
Agonia é quando o maestro de você se perde completamente. Preocupação é uma cola que não deixa o que não aconteceu ainda sair de seu pensamento.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.
Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.
Renúncia é um não que não queria ser ele.
Sucesso é quando você faz o que sempre fez só que todo mundo percebe.
Vaidade é um espelho onisciente, onipotente e onipresente. Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.
Orgulho é uma guarita entre você e o da frente.
Ansiedade é quando faltam cinco minutos sempre para o que quer que seja.
Indiferença é quando os minutos não se interessam por nada especialmente.
Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.
Alegria é um bloco de Carnaval que não liga se não é fevereiro.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Decepção é quando você risca em algo ou em alguém um xis preto ou vermelho.
Desilusão é quando anoitece em você contra a vontade do dia.
Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente, mas, geralmente, não podia.
Perdão é quando o Natal acontece em maio, por exemplo.
Desculpa é uma frase que pretende ser um beijo.
Excitação é quando os beijos estão desatinados pra sair de sua boca depressa.
Desatino é um desataque de prudência.
Prudência é um buraco de fechadura na porta do tempo.
Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.
Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Emoção é um tango que ainda não foi feito.
Ainda é quando a vontade está no meio do caminho.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Desejo é uma boca com sede.
Paixão é quando apesar da placa "perigo" o desejo vai e entra.
Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado. Não. Amor é um exagero... Também não. É um desadoro... Uma batelada? Um enxame, um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego? Talvez porque não tivesse sentido, talvez porque não houvesse explicação, esse negócio de amor ela não sabia explicar, a menina.

Adriana Falcão

Vinícius e Tom... A dobradinha perfeita!


Sempre (desde que me conheço por gente) amo de Paixão a MPB... E aprendi a amá-la através das músicas do Tom Jobim. Como uma coisa puxa a outra, fui percebendo que as músicas mais lindas do Tom eram de composição de Vinícius de Moraes. Não demorou muito pra eu ler, colecionar e "idolatrar" tudo sobre esses dois poetas da alma!
O mais incrível disso tudo, é que eu nunca imaginei que algum dia eu poderia usar esse material e todo repertório que adquiri... Engano! Hoje a minha tese de mestrado está sendo pautada na poesia de Vinícius de Moraes e a influência da Música Popular Brasileira no contexto social e cultural da época... (Ai como eu queria ter vivido nesse período!)
Meu artigo ainda está (bem) no começo, mas quero muito transmitir essa paixão e ir a fundo na importância que essa geração teve para a liberdade que possuímos hoje em dia. Bem, a medida que eu for escrevendo e descobrindo mais coisas, procurarei compartilhar aqui com vocês!
Um beijo a todos e uma excelente semaninha!

"É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que eu sou triste..."

(Dialética - Vinícius de Moraes)

AN SI E DA DE

"Lançai sobre Deus toda vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós!"

Tenho vivido e experimentado na pele esse versículo... Tudo aquilo que gera ansiedade em meu coração, tenho aprendido a entregar nas mãos de Deus. Se eu não posso fazer, pra que ficar me martirizando? Tenho um Deus que pode todas as coisas... e Ele é especialista nos detalhes!

Nesse dia tão especial de minha vida, quero aqui louvar o nome do Senhor! Sei que foi Ele quem me sustentou esses anos, colocou perseverança em meu coração quando a vontade era jogar tudo pra cima e proveu todas as minhas necessidades (emocionais e financeiras). Além de trazer VIDA pra minha vida, esse Deus ainda cuida de mim nos detalhes que só Ele sabe que eu valorizo!

Meu coração hoje canta assim:

"O agir de Deus é lindo na vida de quem é fiel,
No começo tem provas amargas,
Mas no fim tem o sabor do mel
Eu nunca vi um escolhido sem resposta
Porque em tudo Deus lhe mostra uma solução,
Até nas cinzas ele clama e Deus atende, lhe protege,
lhe defende, com as suas fortes mãos
Você é um escolhido e a tua história não acaba aqui
Você pode estar chorando agora,
Mas amanha você irá sorrir,
Deus vai te levantar das cinzas e do pó,
Deus vai cumprir tudo que tem te prometido,
Você vai ver a mão de Deus te exaltar
Quem te vê há de falar,
Ele é mesmo escolhido.
Vão dizer que você nasceu pra vencer
Que já sabiam porque você
Tinha mesmo cara de vencedor,
E que se Deus quer agir ninguém pode impedir
Então você verá cumprir cada palavra
Que o Senhor falou,

Quem te viu passar na prova e não te ajudou,
Quando ver você na benção vão se arrepender,
Vai estar entre a platéia e você no palco,
Vai olhar e ver Jesus brilhando em você,

Quem sabe no teu pensamento você vai dizer,
Meu Deus como vale a pena a gente ser fiel,
Na verdade a minha prova tinha um gosto amargo,
Mas minha vitória hoje tem sabor de mel,
Tem sabor de mel, tem sabor de mel,
A minha vitória hoje tem sabor de mel."

Obrigada Senhor!

As TPM's


É impressionante como lemos ou ouvimos falar desse período crítico que passam as mulheres... São psicólogos, ginecologistas, especialistas na questão, maridos, filhos... Enfim, todos que direta ou indiretamente já sofreram ou sofrem algum dano provocado pela TPM se sentem no direito de falar alguma coisa a respeito do assunto. Mas acredito que somente uma mulher, que passa por isso, “todo santo mês”, é quem realmente tem propriedade pra falar, escrever e até mesmo rir dos efeitos e das causas da TPM... O restante é intriga da oposição!
Não entendo como essa sigla tornou-se tão conhecida de uns tempos pra cá... E quando digo que é conhecida, é conhecida mesmo. Até mesmo as crianças sabem o que é TPM: “A mamãe está com TPM”. “– Ah sim, vamos deixar a mamãe sossegada!” Alguém já viu uma criança entender sobre siglas: Pergunte a qualquer uma o que quer dizer ONU, FMI, ENADE, ou LDB... Muito difícil alguma criança responder. Mas se perguntar o que é TPM, os olhinhos já brilham, sai aquele sorrisinho maroto e elas têm uma reposta bem humorada na ponta da língua. Não sei se é por vingança, pelo prazer de “ter o gostinho” de dar o troco, ou mera maldade humana... Mas a maioria das pessoas sente uma profunda satisfação ao discorrer sobre o assunto.
Poderíamos definir aqui o significado desta “famosa” sigla (do ponto de vista feminino, é claro!). Não seria então só uma TPM, mas várias... Pois, Tudo Parece Me: Irritar, incomodar, confrontar, magoar, ignorar, desanimar, entristecer, estressar, descontrolar, e por aí vai... São tantas sensações que afloram de uma hora pra outra, que até mesmo o “nosso” lado intelectual não aguenta. Deve ser por isso, que sempre após a esse período, fica aquela sensação de: “Eu não acredito que falei isso, ou briguei por aquilo, gritei por aquilo outro, ou até mesmo chorei por essa bobagem!” É triste, muito triste... E embora muitos (homens) duvidem da veracidade dos fatos, é real... Profundamente real!
Não estou aqui para julgá-los. Longe de mim. Talvez se eu fosse um homem também não entenderia, acharia “pura frescura” o que se passa no interior das mulheres... Deve ser muito difícil mesmo, compreender como a mulher que os acompanha, ou trabalha na mesa ao lado, de uma hora pra outra, começa a cobrar tarefas, sejam elas uma simples assinatura ou as roupas jogadas pelo chão, a falta de compreensão, a colaboração ausente: “Meu bem, ontem (e nunca) eu não lavei a louça, e nem por isso você quis me matar!” Eu estou convencida é que durante a TPM, que nós mulheres, nos libertamos das “boas maneiras, das atitudes convencionais”, pois lá no profundo, sempre esperamos ser ajudadas, escutadas, compreendidas, paparicadas... Mas em “nosso estado normal” a sensatez nos impede de “surtar” por cada desejo não realizado, pois a lei do bem-viver fala mais alto.
A realidade é que chega a ser irônico... Mas a mesma sensibilidade que nos faz tão compreensivas, amáveis, pacientes, boas mães, esposas dedicadas, é a sensibilidade que extravasa durante esse período e todas as boas qualidades se revertem. É irônico também que é justamente nessa fase que mais precisamos de tolerância, compreensão, carinho... E conseguimos afastar a todos que nos cercam com um simples olhar! As pessoas à nossa volta quando percebem o que está acontecendo já passam longe, ignoram nossas atitudes e não levam a sério nossas palavras. Mas é fato, não adianta fugir dele, mais dia, menos dia, as TPM’s irão nos afetar... Seja do lado de cá ou do lado de lá.

Fortaleceron B4

No primeiro ano da minha faculdade enquanto estudávamos tipologias textuais, minha querida professora "gramatiqueira" (a Eliana) nos pediu para inventarmos um remédio e criar uma bula pra ele. Eu coloquei 30 promessas (sabe, aquelas tirinhas de papel cartão com um versículo bíblico cada) em uma caixinha de remédios e então, surgiu o fortaleceron B4. Foi bem legal, pois enquanto lia a bula, cada aluno e professor presentes na sala de aula foi "medicado" com uma promessa!


Apresentação
Embalagem contendo 30 promessas

Composição
Cada promessa contém:
Paz, ânimo, alegria, entusiasmo, amor.

INFORMAÇÃO AO PACIENTE:
-Fortaleceron B4 é uma vitamina com ação imediata, específica para o tratamento de infecções agudas ou amenas na alma e nos sentimentos.
-O uso do produto é recomendado para pacientes de qualquer idade, inclusive durante a gestação e lactação.
-ESSE MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO AO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS:
-Identificação: Fortaleceron B4, foi extraído diretamente do Criador, por isso contém palavras de vida. Difere dos outros compostos, por apresentar um radical que age diretamente na alma.
-Mecanismo de Ação: As evidencias experimentais demonstraram que a atividade de Fortaleceron B4 verifica-se através da inibição de sintomas desagradáveis por bloqueio de sensações não desejadas.
-Farmacologia: As palavras de vida são rapidamente absorvidas pela alma, iniciando a redução dos sintomas em 10-30 segundos.
-Fortaleceron B4 não ocasiona quaisquer fenômenos de acúmulo, mesmo após administração repetida, demonstrando uma ótima tolerabilidade sistêmica e mental.

INDICAÇÕES:
O uso de Fortaleceron B4 é indicado em todas as doenças que atingem a alma: depressão, tristeza, desânimo, decepção, frustração, cansaço, desgosto, stress, nervosismo, baixo-estima, carência, solidão, infelicidade.

CONTRA INDICAÇÕES:
Fortaleceron B4 é contra indicado aos portadores de incredulidade, indivíduos que não possuam fé. Dessa forma o produto não fará nenhum efeito.

PRECAUÇÕES:
O produto deve ser administrado com cautela a pacientes que não são pré-dispostos a mudanças abruptas no estado emocional.

REAÇÕES ADVERSAS:
Em determinadas ocasiões podem ocorrer alegria intensa, aceleração cardíaca, paz incontrolável. Necessidade de compartilhar o amor recebido.

POSOLOGIA:
Fortaleceron B4 deve ser administrado de 1 a 10 vezes ao dia, ou sempre que aparecer os sintomas da doença. De preferência administrar o produto ao acordar, pois o efeito se prolongará no decorrer do dia.

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos”. (Salmo 119.105)

Chá de sumiço...


Pois é gente...

Eu sei, eu sei que sumi... Mas foi involuntariamente (É, podemos dizer que sim). Vocês sabem aquele velho ditado: "Casa de ferreiro, espeto de pau!" É justamente isso! Embora o meu marido trabalhe com manutenção de computadores e tenha um provedor de internet, essa última semana fiquei sem acesso ao mundo... Trágico!

Tudo me fez muita falta nesses dias, mas garanto que o que mais me deixou com saudades, foi o bloguinho aqui! Estava "agoniada" em saber que ele estava assim... Largado, sem nada de novo...

Mas enfim, voltei! E está explicado o meu chá de sumiço. Obrigada a todos que me enviaram emails e recadinhos querendo saber "o que tinha acontecido"... Fico profundamente feliz com o carinho dos amigos leitores. Beijo no coração!


Bem, tenho uma dica excelente de leitura: Acabo de ler a "Coleção Melhores Crônicas - Ignácio de Loyola Brandão". Simplesmente fan-tás-ti-co! Eu já era fã de carteirinha desse escritor, o conheci pessoalmente ano passado no COLE (Congresso Nacional de Leitura), onde ele ministrava aos professores uma agradável palestra... Acredito que em toda a minha vida escolar e profissional, jamais participei de uma palestra tão leve, engraçada e prática... Foram as 3 horas de ministração mais rápidas e agradáveis que pude presenciar. E essa coletânea de crônicas de Loyola Brandão não deixa nada a desejar... São 110 textos selecionados e retratam com simplicidade e ironia algumas "cenas" do nosso cotidiano. Pra quem então, gosta de uma ótima leitura, esse livro é imperdível! (Qualquer hora eu posto uma dessas crônicas aqui).

Pra não perder o "fio da meada", eu já comecei a ler um outro livro do mesmo autor, mas é um romance ficcional... "Não verás país nenhum." Estou amando também... Mas só depois de terminá-lo contarei os detalhes aqui.
Um beijo e até. (breve, espero!)

Frase da semana



"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar. "

(Clarice Lispector)

Sobre blog, leitura e muito frio...


Sempre falei que gosto muito do frio, e gosto mesmo... Mas acontece que está MUITO frio... Esses três últimos dias têm sido con-ge-lan-tes! Tenho a impressão que a ponta dos meus dedos(tanto das mãos, como dos pés) está a ponto de paralisar do frio! Queria muito poder ficar em baixo das cobertas, lendo, assistindo um bom filme ou dormindo mesmo...

Falando em leitura tenho duas dicas ótimas: acabo de ler (novamente) o "Pequeno Príncipe" para o meu filho mais novo: O Samuel. E simplesmente é uma literatura fantástica! Já perdi a conta de quantas vezes li... Mas não tem uma vez sequer que eu leia e não me emocione... É impressionante como essa história pode atingir a tantas faixas etárias e ser tão marcante. Meu filhinho amou... No decorrer da história eu ia mostrando as gravuras pra ele e explicando algumas coisas que não entendia, mas gravou em seu coração a história do principezinho que morava em um planeta bem pequenininho e tinha uma flor muito exibida! Já para nós que somos grandinhos, o livro leva a uma reflexão maravilhosa sobre a amizade, lealdade e humildade... Sem palavras, só lendo mesmo pra saber!

Outra dica excelente de leitura é de um blog novo, mas muito bom! É o Blog do Wade, que também é um amigo do meu marido e escreve muito bem! Ele é músico, compositor, professor de inglês e uma pessoa maravilhosa... Ah! E também é o pai do Beni, que por sua vez é o amigo de aventuras do Samuel... Então, vai a dica :
http://wadevenga.blogspot.com, um espaço cheio de belas reflexões!
Pois é gente, no mais...
Um ótimo fim de semana a todos, um beijo pra aquecer o coração... E até!

(Só a título de curiosidade: o Wade está de boné ao lado do Samuel e do Célio - meu marido! O casal lindinho da esquerda é o Dante e a Nádia! Um beijo a todos!)

Simplesmente Mário Quintana...

Só uma amostrinha do porquê eu AMO Mario Quintana. Selecionei algumas frases memoráveis do poeta. Mas para quem nunca o leu e o conhece só de ouvir falar, vai a dica de uma excelente e descontraída leitura... Não sei vocês, mas nesse friozinho, nessa chuvinha... Nada melhor que uma boa xícara de café acompanhada de uma boa leitura!

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.
A
amizade é um amor que nunca morre!
O
luar é a luz do sol que está dormindo...
Viajar é mudar o cenário da solidão.
A modéstia é a vaidade escondida atrás da porta.
Enforcar-se é levar muito a sério o nó na garganta.
Sonhar é acordar-se para dentro.
A
alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.
Poesia, uma maneira de falar sozinho.
Autodidata é um ignorante por conta própria.
O
silêncio é um espião.
O
despertador é um acidente de tráfego de sono.
A
eternidade é um relógio sem ponteiros.
A
mentira é uma verdade que se esqueceu de acontecer.
A
recordação é uma cadeira de balanço embalando sozinha.
Linha Curva - O caminho mais agradável entre dois pontos.
Linha Reta -Linha sem imaginação.
Vento -Pastor das nuvens.
Infância - A vida em tecnicolor./ Velhice - A vida em preto-e-branco.
Melancolia - Maneira romântica de ficar triste.

Procusto, uma história muito interessante!


Na mitologia grega encontramos uma figura bem interessante, porém, muito cruel... Trata-se de um malfeitor chamado Procusto que habitava em uma floresta e possuía uma cama de ferro com a medida exata de sua estatura. Todos os visitantes de Procusto eram forçados a deitar em sua cama e os que eram demasiados altos, tinham o excesso de seu comprimento amputados de modo à se encaixarem na cama. Por outro lado, os visitantes de menor estatura eram esticados até alcançarem o comprimento suficiente.

Conheci essa história bem no início da faculdade, onde o linguista Marcos Bagno comparava as atitudes de Procusto com os métodos tradicionais de ensino que possuíam um molde exato. Os alunos deveriam se encaixar perfeitamente nesse molde, não importando se tivessem de ser amputados ou esticados para isso.

Para os mais jovens talvez essa história não faça muito sentido (como a luta pela liberdade de expressão não fazia muito sentido pra mim, pois já conheci uma sociedade livre, diferente das pessoas que tiveram que lutar por essa liberdade no período da ditadura militar). Hoje os métodos educacionais estão bem mais flexíveis, o aluno pode pensar por si mesmo, é incentivado a criar "seu próprio" método de aprendizagem e é estimulado pelo professor (pelo menos deveria) a ter um olhar crítico diante de tudo que o cerca... O aprendizado vai muito além das quatro paredes da sala de aula, ou à cama de Procusto.

Mas se pararmos para refletir, esse mito de Procusto vai além, muito além da área específica da Educação, pois representa a intolerância do homem em relação ao seu semelhante. Precisamos tomar o cuidado para não agir da mesma forma, pois a nossa tendência é sempre criar "nossos padrões" de vida, de pensamento, de atitudes, de conceitos e "pré-conceitos"...
Amputamos e esticamos muitas pessoas com justificativas banais, e em uma sociedade tão individualista, essas atitudes são consideradas "normais", - Quem já não foi amputado ou cortado algum dia? Quantas vezes já nos sentimos "marionetes" nas mãos de alguém ou de um sistema que insiste em ditar regras?
Não temos o direito de podar as pessoas, seu modo de ver e viver a vida, simplesmente por elas não se encaixarem ao nosso padrão... Assim como ninguém tem esse mesmo direito de limitar nossas ações. Respeito acima de tudo!

Muito... Mas muito feliz!


Hoje é um dia daqueles muito especiais...
Estou sentindo uma alegria tão grande, mas tão grande... Que se fossem tirar uma foto minha por dentro, tudo que há dentro de mim sairia pulando! É verdade, isso é o mais próximo que eu posso chegar tentando descrever o que sinto nesse exato momento.
É muito engraçado quando conseguimos atingir um objetivo... Anos e anos sonhando, planejando, se preparando, sonhando mais ainda... E de repente: eis que surge!
Parece até surreal. Mas sempre que me entendi por gente, sonhava em dar aula no colégio que estudei. Sim, me realizei estudando no Colégio Salesiano, foi uma época mágica e inesquecível... E saí de lá dizendo que um dia voltaria como professora.
Idas e vindas à parte (pois a vida não é exatamente como pensamos ser quando se é adolescente) meu sonho sempre esteve ali... Nunca imaginei que seria tão rápido, inesperado, surpreendente. Mas foi!
Sei que Deus conhece meu coração e sonda os desejos mais profundos... Sempre soube que meus esforços não foram em vão e que essa minha paixão pelos estudos, pelas letras e pela sala de aula foram plantadas dentro de mim por Ele!
Sinto-me constrangida diante de um Deus tão cuidadoso nos detalhes... Que além de prover o que eu preciso, provê também o que eu sonho! E termino aqui com uma mensagem, que com certeza, está falando de mim...

"Quando o SENHOR restaurou a Sorte de Sião, ficamos como quem Sonha. Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia: Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles. Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres. Restaura, SENHOR, a nossa Sorte, como as torrentes do Neguebe. Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltarão com júbilo, trazendo os seus feixes." Salmo 126.

Humor do Dante...

Mais uma piadinha "bem humorada" do querido Dante, que agora também aderiu à febre dos blogs e possui o seu espaço para compartilhar um pouquinho das suas reflexões acerca do mundo. É o primeiro professor de Matemática que eu conheço que escreve tão bem! Vale a pena conferir... Vai a Dica de uma excelente leitura: http://dantetomio.blogspot.com/


SEFOIA

SEFOIA: Enfermidade ainda não bem estudada pela classe médica. Entretanto, milhões de pessoas em todo mundo padecem deste mal e esperam a aprovação da Organização Mundial de Saúde para que se estude e se encontre a cura para esta mortal enfermidade que, cada dia, é adquirida por milhares de pessoas. VEJA A POSSIBILIDADE DE VOCÊ SER PORTADOR:

1.- Se um café te provoca insônia.

2.- Se uma cerveja te leva direto ao banheiro.

3.- Se tudo te parece muito caro.

4.- Se qualquer coisa te altera.

5.- Se todo pequeno excesso alimentar te provoca aumento de peso.

6.- Se a feijoada "cai" como chumbo no estômago.

7.- Se o sal sobe a tua pressão arterial.

8.- Se em uma festa pedes a mesa mais distante possível da música e das pessoas.

9.- Se o amarrar os sapatos te produz dor nos quadris.

10.- Se a TV te provoca sono.

Todos esses sintomas são prova irrefutável que padeces de Sefoia

SE-FOI-Ajuventude!!!

Diga-me o que compras... E eu direi quem tu és!


Fazer compras no supermercado não é meu programa favorito. Sempre acabo fugindo da minha lista e gastando mais que o previsto... Por outro lado nunca consigo agradar a todos em casa com as minhas escolhas: os filhos principalmente! Nunca estão satisfeitos, sempre esperam mais. Quanto mais crescem, mais difícil fica de agradar... Ah, geralmente saio do mercado com dor de cabeça, e fico com uma maior ainda quando chego em casa e tenho que guardar tudo!

Mas me divirto muito esperando na fila pra passar no caixa... É, gosto de observar os carrinhos ao meu redor... Muito interessante ficar analisando as compras alheias... Não sei se todos fazem isso, às vezes penso que sou meio doida, que tenho alguns comportamentos "estranhos" aos padrões normais... Mas a verdade é que o carrinho de supermercado revela mais coisas sobre quem o empurra do que podemos imaginar!

Por exemplo, vou começar pelo meu carrinho... Acho ele muito previsível... É o típico carrinho de compras da família classe média. Sim! Muito arroz, feijão, macarrão, batatas, bolacha, produto de limpeza e várias coisas usadas por quem tem o hábito de cozinhar "todo santo dia". Somente uma coisa ou outra de comida instantânea (aquelas das caixinhas que são sinônimos de comidas rápidas e CARAS!), só para eventuais imprevistos...

Às vezes fico meio triste com meu carrinho, principalmente quando ao meu lado tem algum cheio de coisas práticas (caras)... Várias e várias caixinhas... De vários tamanhos e cores... Um mínimo de produto de limpeza... Claro, comida pronta não faz tanta sujeira! Certamente o dono desse carrinho tem uma cozinha sempre brilhando... Deve ser uma pessoa muito ocupada e meio solitária.

Também tem o carrinho saudável! Ah... Como admiro esse tipo de carrinho... Tudo à base do integral, natural e bem dosado. Nada de exageros... Abaixo a gordura! Acho muito "chique" um carrinho desses... Geralmente vem acompanhado por objetos requintados e de bom gosto... Certamente o dono desse carrinho não tem crianças. Sim, não dá pra manter a pose com crianças, nem ter objetos sofisticados e muito menos fazer comida integral! Até eu que já sou crescidinha não consegui aderir ao "natural" com naturalidade... (quem sabe um dia!)

Mas o assunto das crianças me fez lembrar de um outro tipo de carrinho... Mas esse eu procuro passar longe... É aquele cheio de fraldas, lenços umedecidos, mingau, etc, etc... Não gosto nem de lembrar! Bebê é muito fofo, muito lindo, amo, amo! Mas só quem já passou por essa fase sabe o que é uma casa com bebê! Choro à noite, troca de fralda toda hora, pilhas e pilhas de roupinhas pra lavar, passar, guardar, vestir, tirar, lavar, passar... Toda hora é hora de fazer alguma coisa com o bebê: se já mamou, então é hora de trocar. Se o sol está quentinho é hora de dar banho... E quando o neném dorme é hora de cuidar de TODA a casa, até que ele acorde e começa tudo de novo... Definitivamente esse carrinho me lembra... barulho, stress, muito sono... Não, muito obrigada!

Prefiro mesmo o meu carrinho "classe média" que deixa meu marido goiano satisfeito com as refeições a serem preparadas e com o valor, que mesmo ultrapassando o desejado, ainda fica dentro do orçamento...

É claro que existem vários outros tipos de carrinho de compras... Os exagerados (que de duas, uma: vem de uma família muito grande ou de uma família com mania de grandeza!) Talvez o pai ou a mãe já tenha passado alguma dificuldade um dia e não suporta a ideia de ver a geladeira ou os armários vazios... É, tem dessas coisas!

A verdade é que são tantos tipos de carrinho que poderia ficar inumerando-os aqui por várias e várias linhas... Poderíamos categorizá-los por tamanho de família, componentes familiares, faixa etária e classe social... Mas creio que não convém fazer isso, correria o risco de tornar-me cansativa e de os meus leitores julgarem-me doida também! (Uma coisa é eu me achar doida. Tudo bem, trata-se de eu mesma... Posso achar e "desachar" a qualquer momento... Mas a opinião de um terceiro, isso já é outra coisa!)

Mas fala a verdade: o carrinho de compras mostra muito mais sobre nós mesmos do que podemos imaginar! E você, já sabe qual é o tipo do seu carrinho? Não espere me encontrar numa fila dessas no caixa pra descobrir!

Mulheres (Luís Fernando Veríssimo)


Certo dia parei para observar as mulheres e só pude concluir uma coisa: elas não são humanas. São espiãs. Espiãs de Deus, disfarçadas entre nós.

Pare para refletir sobre o sexto-sentido.
Alguém duvida de que ele exista?

E como explicar que ela saiba exatamente qual mulher, entre as presentes, em uma reunião, seja aquela que dá em cima de você?

E quando ela antecipa que alguém tem algo contra você, que alguém está ficando doente ou que você quer terminar o relacionamento?

E quando ela diz que vai fazer frio e manda você levar um casaco? Rio de Janeiro, 40 graus, você vai pegar um avião pra São Paulo. Só meia-hora de vôo. Ela fala pra você levar um casaco, porque “vai fazer frio”. Você não leva. O que acontece? O avião fica preso no tráfego, em terra, por quase duas horas, depois que você já entrou, antes de decolar. O ar condicionado chega a pingar gelo de tanto frio que faz lá dentro!
“Leve um sapato extra na mala, querido. Vai que você pisa numa poça…”
Se você não levar o “sapato extra”, meu amigo, leve dinheiro extra para comprar outro. Pois o seu estará, sem dúvida, molhado…

O sexto-sentido não faz sentido!

É a comunicação direta com Deus!
Assim é muito fácil…
As mulheres são mães!

E preparam, literalmente, gente dentro de si.
Será que Deus confiaria tamanha responsabilidade a um reles mortal?

E não satisfeitas em ensinar a vida elas insistem em ensinar a vivê-la, de forma íntegra, oferecendo amor incondicional e disponibilidade integral.
Fala-se em “praga de mãe”, “amor de mãe”, “coração de mãe”…

Tudo isso é meio mágico…
Talvez Ele tenha instalado o dispositivo “coração de mãe” nos “anjos da guarda” de Seus filhos (que, aliás, foram criados à Sua imagem e semelhança).

As mulheres choram. Ou vazam? Ou extravazam?

Homens também choram, mas é um choro diferente. As lágrimas das mulheres têm um não sei quê que não quer chorar, um não sei quê de fragilidade, um não sei quê de amor, um não sei quê de tempero divino, que tem um efeito devastador sobre os homens…

É choro feminino. É choro de mulher…

Já viram como as mulheres conversam com os olhos?

Elas conseguem pedir uma à outra para mudar de assunto com apenas um olhar.
Elas fazem um comentário sarcástico com outro olhar.
E apontam uma terceira pessoa com outro olhar.
Quantos tipos de olhar existem?

Elas conhecem todos…

Parece que freqüentam escolas diferentes das que freqüentam os homens!
E é com um desses milhões de olhares que elas enfeitiçam os homens.

EN-FEI-TI-ÇAM !

E tem mais! No tocante às profissões, por que se concentram nas áreas de Humanas?
Para estudar os homens, é claro!
Embora algumas disfarcem e estudem Exatas…

Nem mesmo Freud se arriscou a adentrar nessa seara. Ele, que estudou, como poucos, o comportamento humano, disse que a mulher era “um continente obscuro”.
Quer evidência maior do que essa?
Qualquer um que ama se aproxima de Deus.
E com as mulheres também é assim.

O amor as leva para perto d’Ele, já que Ele é o próprio amor. Por isso dizem “estar nas nuvens”, quando apaixonadas.
É sabido que as mulheres confundem sexo e amor.
E isso seria uma falha, se não obrigasse os homens a uma atitude mais sensível e respeitosa com a própria vida.
Pena que eles nunca verão as mulheres-anjos que têm ao lado.
Com todo esse amor de mãe, esposa e amiga, elas ainda são mulheres a maior parte do tempo.
Mas elas são anjos depois do sexo-amor.
É nessa hora que elas se sentem o próprio amor encarnado e voltam a ser anjos.
E levitam.
Algumas até voam.
Mas os homens não sabem disso.
E nem poderiam.
Porque são tomados por um encantamento que os faz dormir nessa hora.”

Ah... O amor!


Nessas últimas 2 semanas vimos aqui alguns princípios para vivermos melhor e tornar a vida das pessoas que nos cercam um pouco melhor também... Falamos sobre respeito, paciência e prontidão... E não poderíamos terminar esse assunto sem falar do amor!

Sim, o amor! Ele é o princípio e o fim de todas as coisas... O princípio por que sem ele todas as outras atitudes que falamos anteriormente não são possíveis. Precisamos exercitar o amor todos os dias em gestos de respeito ao próximo, paciência e prontidão!

Seguir o mandamento de Jesus que nos ensina a "Amar o próximo como a si mesmo", essa é a fórmula certa para não nos contaminarmos com o grande mal dessa geração: o egoísmo! O amor é o grande segredo para uma vida plena e feliz...

E é o fim de todas as coisas, pois tudo termina em amor, com amor, por amor! Se estamos vivendo uma vida sem objetivos, eis aqui um belo e sublime objetivo a ser alcançado: AMOR! Ao acordarmos todos os dias precisamos visualizar o grande alvo à frente: amar em cada situação, em cada momento, o máximo de pessoas possíveis... Fazer a diferença por onde quer que passamos... Onde quer que estejamos!

Essa é a magia do amor...

E termino aqui essa breve reflexão com um dos poemas mais lindos que já li... Tão lindo que já inspirou vários poetas (inclusive Camões, Renato Russo), mas coloco aqui o original, escrito por Paulo, discipulo de Jesus e é uma grande lição de amor...

"Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o bronze que soa ou como o címbalo que retine.

Ainda que eu tenha o dom de profetizar e conheça todos os mistérios e toda a ciência; ainda que eu tenha tamanha fé, a ponto de transportar montes, se não tiver amor, nada serei.

E ainda que eu distribua todos os meus bens entre os pobres e ainda que entregue o meu próprio corpo para ser queimado, se não tiver amor, nada disso me aproveitará.

O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece,

não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal;

não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;

tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta
.

O amor jamais acaba; mas, havendo profecias, desaparecerão; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, passará;

porque, em parte, conhecemos e, em parte, profetizamos.

Quando, porém, vier o que é perfeito, então, o que é em parte será aniquilado.

Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.

Porque, agora, vemos como em espelho, obscuramente; então, veremos face a face. Agora, conheço em parte; então, conhecerei como também sou conhecido.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor."